domingo, 27 de junho de 2010

Pane et circum

No outro dia, deparei-me com uma situação que poderia ter sido retirada de um filme Sci-Fi de fraca qualidade dos anos 80. Saí a meio da tarde para ir comprar algo (confesso que já não me recordo o que era!), e caminhei em direcção ao mini-mercado do bairro, perdida nos meus pensamentos... No momento de atravessar a rua, parei no passeio e olhei, para a esquerda, para a direita! Foi aí, que percebi, que o bairro em questão, usualmente com muito movimento a qualquer hora do dia, estava simplesmente despojado de pessoas, movimento, vida.... um silêncio constrangedor reinava. Atravessei a rua e entrei no mini-mercado.... cujo único movimento visível era o das duas funcionárias encostadas num canto, amarradas ao rádio a ouvirem religiosamente o relato do jogo da nossa Selecção!! Foi em busca do que tinha ido comprar e desloquei-me até a caixa para efectuar o pagamento, e aí esperei, esperei, esperei e desesperei. Aquele pequeno aparelho que emitia som a relatar cada passo dos jogadores, tinha-lhes sugado qualquer capacidade de observar o mundo à volta delas... completamente absortas.
Passando alguns longos minutos, uma das miúdas, resignou-se e veio finalmente atender-me de uma forma brusca e muito seca, como se tivesse a cometer um crime da pior espécie.
Regressei a casa, e deparei-me com uma realidade: o nosso Portugal dos Grandes aparentam-se cada vez mais com o Império Romano, e não no bom sentido da comparação. Os Imperadores, durante séculos, basearam-se numa máxima que lhes permitiu manter o Povo em "repouso", Pane et circum. Sim, a máxima do pão e circo para toda a gente, poderá se aplicar ao nosso Portugal dos Grandes, mas com algumas alterações. De facto, tendo em contas as últimas festas populares decorridas, a máxima portuguesa será Sardinhas e Futebol.....Desde que esses dois pré-requisitos sejam preenchidos, o nosso governo poderá levar em frente a cobrança das Scut do Norte, isto sem qualquer tipo de equipamento, apenas por obra e graça de nosso senhor!!! Desde que haja Sardinhas e Futebol, o Povo português poderá ser enterrado sob um peso fiscal cada vez mais insustentável. Com Sardinhas e Futebol seremos felizes, apesar de nos encontrarmos sem solução à vista para uma vida melhor....
Com Sardinhas e Futebol.......................

Cogitações I

Mais uma vez se ergue a noite, arrastando consigo um ser pálido, trémulo e frágil que ilumina a vasta escuridão, com maior intensidade a cada segundo que passa. O profundo silêncio instala-se, o tempo quase parece parar....mas os fantasmas surgem e impedem-me de poder usufruir da paz e serenidade envolvente.
Sempre pensei e acreditei, que com a idade os nossos medos desaparecessem, ou pelo menos se tornassem de tal modo pequenos, que pudéssemos prosseguir a vida sem lhes prestar muita atenção. Creio nunca ter estado mais errada, com o passar do tempo, os fantasmas do nosso passado tornam-se cada vez maiores, mais fortes, mais aterradores, deixando-nos prostrados, incapazes de os enfrentar. Sinto-me pequena, frágil, só.... e essa solidão não advém da ausência de amigos (neste campo não tenho nada a dizer, são poucos mas valiosos).
Terei eu que aprender a viver com esses fantasmas, que se tornam cada vez mais fortes? Conseguirei eu, um dia, enfrentá-los e bani-los da minha vida? ou acabarei por sucumbir e me deixar levar por eles??
Dolorosos pensamentos me assolam e me impossibilitam de dormir....perseguem-me, já, desde a infância transformando a vida numa eterna penumbra, onde vultos assustadores se erguem, altivos, fortes, vigorosos. Espero que algum dia, a doce, frágil e trémula lua abandone o meu caminho, para dar lugar ao esplendoroso e vigoroso sol, afugentando esses vultos.
Finalmente, rendo-me ao cansaço.......

sábado, 26 de junho de 2010

Paisagens algarvias

Agora uma pequena amostra das paisagens pelas quais me perdi....


Lagoa de Alte

Rio Odelouca





Fauna

Eis uma pequena amostra dos pequenotes que me fizeram companhia durante alguns meses em São Marcos da Serra; Algarve.





Primeiro capítulo

Há já algum tempo que ansiava criar um blogue.... não sei bem com que intuito, talvez por ser algo que esteja um pouco na moda, ou quiçá pela necessidade de exorcizar os males que me vão na alma, como se se os escrevesse tornasse sustentável encará-los. A verdade é que não tenho, ultimamente, tido muita vontade de escrever, e optei, desta feita, já que o blogue estava criado, por partilhar algumas fotos de locais que me são queridos, dando assim a conhecer o nosso Portugal dos Pequenitos.....

domingo, 20 de junho de 2010



Água